Desvende os mistérios do corpo humano, visualizando músculos, ossos e órgãos

Se você já saiu da escola, deve se lembrar daquelas maquetes do corpo humano que representavam cada um dos sistemas.
Imagine como seria ainda melhor se fosse possível visualizar o digestório, circulatório e vários outros, em uma interface interativa que pode ser controlada pelo mouse e não requer arquivos de instalação.
Pois é exatamente isso que oferece o Zygote Body, o antigo Google Body Brownser criado para fins estudantis. O programa havia sido abandonado pelo Google com o fim do Google Labs, mas a empresa resolveu abrir seu código-fonte e entregá-lo à Zygote, que fornecia as imagens usadas no serviço.
Ele roda totalmente online, mas infelizmente não são todos os navegadores que oferecem suporte para o serviço, pois o aplicativo exige que o browser possua aceleração WebGL. Os navegadores Internet Explorer 10, Firefox 4 ou superior, Safari 5.1 ou superior, Chrome 8 ou superior e Opera 12 ou superior tem suporte à tecnologia.


O que ele faz?

Basicamente: mostra o corpo humano. Mas é lógico que vai muito mais além. O Zygote Body pretende ser uma versão definitiva de softwares do gênero, buscando ser referência no assunto. Ainda é uma versão inicial, mas os primeiros passos já estão sendo dados. Prova disso é a excelente qualidade do sistema.
Ao abrir o serviço, você verá uma garota com roupas de ginástica. Com o mouse, é possível modificar o posicionamento dela em relação à tela e também em relação ao seu eixo cervical. Mas essa não é a principal função do software, afinal de contas, ele foi criado para fins estudantis.


Botões de comando

Na parte esquerda da interface, há comandos muito similares aos oferecidos pelo Google Earth ou pelo Google Maps. O primeiro botão é responsável pelo posicionamento da “câmera” do Zygote Body: com ele você pode rodar ou reposicionar a modelo na tela do aplicativo, facilitando a visualização de cada parte da estrutura corporal.
Logo abaixo há um botão menor com as opções “+” e “-”. Essas duas opções são referentes ao aumento ou à diminuição do zoom aplicado à modelo, mesma função que pode ser acessada por meio do botão de scroll do mouse.


Barra de camadas

Um pouco mais abaixo desses comandos está a barra deslizante de camadas. Ela serve para que as pessoas possam localizar mais facilmente cada tipo de estrutura desejada. Por padrão, essa barra está na parte mais alta, representando a visualização do corpo com pele e cabelos.
Logo abaixo, há um braço contraído. Deslizando a barra até ele, você poderá visualizar todos os músculos e tendões, desde os mais conhecidos (bíceps, tríceps e quadríceps) até os menos comentados nas salas de aula, como músculos dorsais. O ícone do osso representa a visualização do esqueleto.
Mais abaixo está o coração. Deixando a barra deslizante sobre ele, você terá acesso a todo o sistema circulatório, com informações sobre veias e artérias. Por fim, o cérebro dá acesso a todo o sistema nervoso, mostrando os caminhos dos impulsos elétricos que movimentam os nossos corpos.


Busque o que quiser

Caso não queira localizar cada parte do corpo, você pode também utilizar o botão de buscas integrado ao próprio Zygote Body. Localizado no canto superior direito, só é preciso digitar o que você busca, mas em inglês, pois o sistema do serviço ainda não possui cadastros na língua portuguesa. 
Assim que digitar e pressionar a tecla “Enter”, o Zygote Body focalizará no resultado automaticamente. Você pode realizar o procedimento quantas vezes quiser para conhecer melhor todas as partes do corpo humano.

Novo nome, novas funções

O Zygote Body agora é um produto com código aberto. Por isso, novas funções podem ser adicionadas ao programa, como este experimento com uma vaca:



Por isso não se surpreenda se todo o reino animal, plantas e até seres extraterrestres aparecerem no Zygote Body a partir de agora.

Leia mais em: http://www.baixaki.com.br/download/zygote-body-browser.htm#ixzz1lVZZyd1L

0 comentários:

O conteúdo deste blog/site pode e deve ser divulgado, conforme lei a 9.610/98 meus direitos estão assegurados, portanto eu permito a copia e reprodução gratuita, seja total ou parcial, não acarretando qualquer onûs financeiro aos interessados, porém, vedo o uso para fins lucrativos, toda reprodução para o público deve citar a fonte extraída, no caso o Técnico Linux - O Espaço do Software Livre e seja citada junto com um link para a postagem original, onde a referência deve estar numa fonte de tamanho igual ou maior a do texto, obviamente que os links citados não estão sujeitos ao mesmo termo. O conteúdo textual original desta página está disponível sob a licença GNU FDL 1.2.

Todas as marcas citadas pertencem aos seus respectivos proprietários. Os direitos autorais de todas as ilustrações pertencem aos respectivos autores, e elas são reproduzidas na intenção de atender ao disposto no art. 46 da Lei 9.610 - se ainda assim alguma delas infringe direito seu, entre em contato para que possamos removê-la imediatamente ou ainda lhe dar os devidos créditos.

Copyright © 2016 O Espaço do Software Livre