5 motivos pelos quais você deve usar o recurso da virtualização de sistemas

Virtualizar sistemas operacionais é um recurso bastante utilizado por Administradores de Redes em DataCenters. Um motivo óbvio para tal uso é, sem dúvidas, ter a possibilidade de gerenciar diversos sistemas em apenas um computador hospedeiro. Mas existem 5 motivos pelos quais você também deveria usar esse recurso em sua máquina doméstica! Descubra porque!

Primeiramente, em um uso da virtualização para servidores pode-se definir que 
virtualização é o processo de executar vários sistemas operacionais em um único equipamento. Uma máquina virtual é um ambiente operacional completo que se comporta como se fosse um computador independente. Com a virtualização, um servidor pode manter vários sistemas operacionais em uso.

A virtualização simplifica aplicativos e sistemas operacionais em um hardware físico para otimizar recursos. Que tal também desfrutar dessa tecnologia já tão consolidada? 

Virtualização em Datacenters

A virtualização não é um conceito novo. Há mais de 50 anos, a solução já era adotada em grandes computadores (conhecidos como maniframes), que rodava, em uma mesma máquina física, diferentes estações lógicas.

Mas porque devo usar máquinas virtuais no meu computador?

Motivo 1: Tenha um simulador de Redes real: monte sua própria estrutura

Imagine você tendo que instalar várias máquinas físicas em seu quarto, quando estiver fazendo um Curso de Redes de Computadores? Trabalhão... hein?! Pois é, com o uso de máquina virtuais fica fácil configurar uma rede real com estrutura cliente/servidor por exemplo! Ou quem sabe uma intranet completa! 

Com as máquinas virtuais é possível simular redes inteiras, inclusive redes heterogenias.

O que irá determinar quantas máquinas virtuais serão instaladas será o recurso de hardware de sua máquina hospedeira!

Motivo 2: Economize no futuro

Lembre-se: comprando um computador robusto você não apenas irá passar horas e horas jogando ;-) mas também poderá usufruir do suporte a virtualização de sistemas! Uma máquina com 5 GB de RAM roda tranquilamente 3 sistemas Linux virtuais (sendo cada sistema com 1 GB de RAM)! 

Quando você teria 3 ou 4 máquinas disponíveis para usar dessa maneira?! E tenha economia de espaço físico e de energia elétrica!

Motivo 3: Nunca foi tão simples restaurar um sistema

O uso de máquinas virtuais lhe permite ter maior confiabilidade e segurança nas informações envolvidas! As máquinas virtuais são verdadeiros softwares que não dependem diretamente do servidor e do hardware onde estão instaladas; em caso de falha de um sistema é suficiente mover as máquinas virtuais, ou um backup, em outro computador para restaurar o ambiente em tempo real.

As máquinas virtuais ficam isoladas e independentes umas das outras, inclusive independente da máquina hospedeira.

Motivo 4: Preserve seu sistema hospedeiro

Eu particularmente prefiro rodar uma máquina virtual Windows sobre o Linux do que o inverso! A integridade oferecida no uso de máquinas virtuais é grande! Por exemplo, para teste de softwares, sistemas e diversos outros aplicativos você não deve usar seu sistema real para fazer isso! Tenha sua estrutura de sistemas virtualizados para fazer isso! 

A utilização de uma máquina virtual, como ambiente de desenvolvimento, possibilita um ambiente isolado, evita que falhas na configuração e/ou execução, ou até mesmo vírus, danifiquem o hardware da máquina

Motivo 5: Tenha seu próprio sistema virtual a todo instante e em qualquer computador

Quando você decide mover seu sistema virtual para um outro computador, é possível executar sua máquina virtual normalmente em outro sistema operacional hospedeiro; isso irá reduzir custos. 

Vale ainda lembrar que a virtualização pode ser útil para aplicações que são executadas em hardware antigo, que está sujeito a falhas. É possível executar essas aplicações em hardwares mais novos, com custo de manutenção mais baixo e maior confiabilidade.

Ficou interessado?

Lembre-se: A virtualização já deixou de ser uma novidade faz tempo e já é uma realidade! Mesmo resolvendo e facilitando muitas tarefas, porém é necessário avaliar se essa virtualização não trará problemas em situações de falha, como a queima de um computador físico. Pois irá parar todas as máquinas virtuais! Fique atento.

Existem diferentes tipos de virtualizações para diferentes tarefas. Portanto segue listas dos principais virtualizadores:

Para virtualizar ou simular roteadores, switchs, bridges, hubs e demais equipamentos de rede pode ser utilizados softwares como:

* Dynamips/Dynagen
* Packet Tracker

Para virtualização de máquinas, servidores voltados para testes em sistemas desktop podemos utilizar os softwares:

* Virtual Box
* Qemu
* VMWare
* Microsoft Virtual PC
* BootCamp
* Parallels

Para virtualização de servidores em ambiente de produção:

* Xen
* VMWare
* KVM

Artigo originalmente publicado por Ricardo Ferreira Costa do Blog Linux Descomplicado

0 comentários:

O conteúdo deste blog/site pode e deve ser divulgado, conforme lei a 9.610/98 meus direitos estão assegurados, portanto eu permito a copia e reprodução gratuita, seja total ou parcial, não acarretando qualquer onûs financeiro aos interessados, porém, vedo o uso para fins lucrativos, toda reprodução para o público deve citar a fonte extraída, no caso o Técnico Linux - O Espaço do Software Livre e seja citada junto com um link para a postagem original, onde a referência deve estar numa fonte de tamanho igual ou maior a do texto, obviamente que os links citados não estão sujeitos ao mesmo termo. O conteúdo textual original desta página está disponível sob a licença GNU FDL 1.2.

Todas as marcas citadas pertencem aos seus respectivos proprietários. Os direitos autorais de todas as ilustrações pertencem aos respectivos autores, e elas são reproduzidas na intenção de atender ao disposto no art. 46 da Lei 9.610 - se ainda assim alguma delas infringe direito seu, entre em contato para que possamos removê-la imediatamente ou ainda lhe dar os devidos créditos.

Copyright © 2016 O Espaço do Software Livre