OpenStreetMap – mapas open source

Você conhece o Google Maps, não é? Acho que sim.

Mas sabia que existe uma versão livre (open source) de mapas mais simples mas muito mais rápido e que o Foursquare e a Wikipédia trocaram o Google Maps por ele?

O OpenStreetMap é um projeto colaborativo para criar um mapa livre e editável do mundo. Os mapas são criados usando dados de receptores GPS portatéis, fotografias aéreas e outras fontes livres. Tanto as imagens obtidas por processamento dos dados e os dados estão disponíveis sob uma licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.0


Ele é uma alternativa gratuita e que dá ótimos resultados. Ainda peca em comparação do mapeador famoso do Google, mas devemos dar atenção neste projeto. Vale a conferida.

Fonte e Créditos: aqui


OpenStreetMap (OSM)  é um projeto que foi criado para, de forma colaborativa, criar um mapa livre e editável do mundo. A iniciativa foi inspirada por sites colaborativos como a Wikipedia.
O OpenStreetMap surgiu com a proposta de tornar os dados deste tipo de serviço, dominado pelo Google Maps, livres das amarras dos direitos de autores, restringindo assim a sua utilização para quaisquer fins. Desta forma, pode-se afirmar que é uma alternativa brilhante pois permite construir de maneira colaborativa um mapa global sem violar a propriedade intelectual dos partícipes.
Estima-se que em todo o mundo o número de colaboradores ultrapassa dos 50 mil registrados e que cerca de 5 mil são colaboradores ativos. No Brasil, esses números são muito discretos, talvez pela ausência de percepção geográfica das pessoas. E isto se reflete na baixa capacidade de se ter o território nacional mapeado. Mapear o local onde se vive significa conhecê-lo e o brasileiro ainda não conhece e não explora o seu território.
Se você tiver interesse em fazer algo nobre, habilite-se a mapear o Brasil. Saiba que a sua colaboração pode ajudar não só a si mesmo mas também a toda sociedade.
Para participar desta comunidade, acesse www.openstreetmap.org
No canto superior direito, clique em registrar, se você ainda não for registrado e entrar, caso já seja registrado, obviamente.
Na tela de login, você poderá se registrar [1]; usar uma contra preexistente de email ou blog [2] ou simplesmente usar seu usuário e senha [3].
Logo após efetuar o login, na aba Editar, recomendo usar a segunda opção de edição, por considerá-la mais fácil.
Aguarde o editor carregar.
Lembre-se que todo o procedimento de mapeamento é realizado online e exige que seu navegador possua tocador de flash instalado.
Para iniciar a edição, você precisará ter uma imagem de fundo, para tal, clique no menu suspenso Background e selecione a opção Yahoo. Logo uma imagem de satélite do Yahoo será carregada.
Agora só é preciso mapear.
Para encerrar um determinado trecho mapeado basta apertar a tecla enter em seu teclado…
…e no menu que abrir ao lado, escolha a topologia Roads e selecione o seu tipo de via. Caso seja um rio, opte pela topologia Water e assim sucessivamente.
É possível ainda preencher as tags de sua topologia com informações do tipo: sentido das vias, nome da rua ou rio dentre outras opções.
Uma outra ferramenta que acho muito interessante é usar o OpenStreetMap disponível noMarket do seu Android. Nele é possível percorrer um determinado percurso, seja a pé ou motorizado e fazer o envio das informações automaticamente, desde que se tenha 3G habilitado em seu aparelho. Mas este pode ser tema de um post futuro.
É possível ainda utilizar os programas desktop JOSM (Java OpenStreetMap) e Merkaator para edição offline.
Como sugestão, deixo os seguintes links para que você possa entender mais um pouco sobre esta ferramenta/iniciativa e dar a sua parcela de participação.
http://gfoss.sigaberto.org/?p=1110
http://pt.wikipedia.org/wiki/OpenStreetMap
http://www.slideshare.net/rafikdabahia/projeto-openstreetmapmapeando-democraticamente-o-mundo
http://geotecnologias.wordpress.com/2008/06/04/openstreetmap/
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

O conteúdo deste blog/site pode e deve ser divulgado, conforme lei a 9.610/98 meus direitos estão assegurados, portanto eu permito a copia e reprodução gratuita, seja total ou parcial, não acarretando qualquer onûs financeiro aos interessados, porém, vedo o uso para fins lucrativos, toda reprodução para o público deve citar a fonte extraída, no caso o Técnico Linux - O Espaço do Software Livre e seja citada junto com um link para a postagem original, onde a referência deve estar numa fonte de tamanho igual ou maior a do texto, obviamente que os links citados não estão sujeitos ao mesmo termo. O conteúdo textual original desta página está disponível sob a licença GNU FDL 1.2.

Todas as marcas citadas pertencem aos seus respectivos proprietários. Os direitos autorais de todas as ilustrações pertencem aos respectivos autores, e elas são reproduzidas na intenção de atender ao disposto no art. 46 da Lei 9.610 - se ainda assim alguma delas infringe direito seu, entre em contato para que possamos removê-la imediatamente ou ainda lhe dar os devidos créditos.

Copyright © 2016 O Espaço do Software Livre