Como deixar seu Ubuntu mais rápido



Por Julian Fernandes em 12 de junho de 2012


O Ubuntu é um sistema operacional rápido por padrão, mas há formas de deixa-lo ainda melhor e fazê-lo aproveitar melhor os recursos do seu hardware, algo que pode dar um boost de performance considerável, especialmente em computadores antigos.

Na busca pelo presente perfeito para o dia dos namorados, me peguei olhando para algumas peças velhas e computadores antigos que possuo jogados pelo quarto e para o computador da minha namorada, com um Pentium 4, uma placa gráfica integrada da SiS e apenas 512 megabytes de memória. Pensei comigo: “Porque não usar algumas peças antigas e montar um computador melhor para ela?“.

Presente perfeito para o dia dos namorados? Um computador com Ubuntu é claro! (:

Acabei montando um computador modesto, mas ainda assim, melhor do que ela possuía. As configurações finais ficam assim:

Processador: Intel Core 2 Duo 2.0 GHz;
Memória RAM: 1 gigabyte DDR2 800 GHz Kingstom;
Placa de vídeo: Integrada da VIA.

Como eu disse, configurações modestas, mas melhores do que as que ela tinha. Fiz a instalação do Ubuntu 12.04 “Precise Pangolin“ temendo que o Unity não funcionaria com a placa integrada, mas para minha surpresa, o Ubuntu iniciou com o Unity 2D e tudo funcionou de forma rápida, utilizando cerca de 300 megabytes de memória RAM. A performance do sistema estava muito boa, mas porque se contentar com algo bom se podemos ter algo excelente, certo?

Abaixo você confere algumas dicas para deixar seu Ubuntu ainda mais rápido, independente do seu hardware. As dicas também servem para as variantes do sistema operacional laranja, como o Lubuntu, Xubuntu e Kubuntu. Pronto para dar vida nova ao seu computador? Vamos lá então!

Deixando o Ubuntu mais rápido

Instale a última versão do kernel disponível

Atualizações de kernel costumam dar uma nova vida ao seu hardware (ou mata-lo de vez). Se o Ubuntu lhe ofereceu uma atualização de kernel via Gerenciador de Atualizações, faça essa atualização. Novas versões corrigem bugs, trazem novos recursos e melhoram a performance do seu hardware.


Kernel Ubuntu 3.4 instalado no Ubuntu 12.04 com perfeição

O Kernel Ubuntu 3.4, lançado a algumas semanas por exemplo, trouxe uma melhora considerável para usuários com placas de vídeo integradas da Intel, e o Kernel Linux 3.5 promete melhorar consideravelmente a performance de placas de vídeo da ATI.

Instale drivers de vídeo otimizados e atualizados

Drives de vídeo mais novos costumam trazer melhorias, correções de bugs e melhoras na performance, que é o que estamos buscando. Tente manter seus drivers sempre atualizados, sejam eles da empresa que for.

Existe um repositório PPA que além de trazer drivers open source atualizados, ainda os otimiza, trazendo um ganho de performance considerável. Se você estiver usando uma placa de vídeo da SiS, VIA ou Intel, recomendo fortemente que adicione esse repositório em seu sistema e faça as atualizações propostas por ele.

Mantenha os drivers da sua placa de vídeo sempre atualizados

Para adicionar o PPA abra o terminal com o comando <Ctrl+Alt+T> e digite o comando abaixo:

$ sudo add-apt-repository ppa:oibaf/graphics-drivers && sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade

Agora reinicie seu sistema e a performance deve estar melhorada. Alguns problemas que você provavelmente tinha também devem ter sido corrigidos, o que é ótimo, não acha?

Se você possui uma placa de vídeo da ATI ou NVidia, tente ficar de olho nos sites oficiais das empresas para fazer download das atualizações. Mas cuidado: sempre leia as notas da versão para ter certeza de que sua placa é realmente suportada pelo novo driver, visto que a ATI por exemplo, costuma deixar de suportar seus hardwares de tempos em tempos.

Instale o Preload

O Preload é um serviço que roda em background e monitora os softwares que você usa no seu computador, aprendendo quais aplicativos você costuma usar e carregando-os na memória antes de você abri-los, deixando a inicialização do software muito mais rápida.

O serviço não é instalado por padrão no Ubuntu, mas virá instalado na nova versão do elementaryOS, distribuição baseada no Ubuntu que tem um lugar especial no meu coração devido a sua velocidade e extrema beleza.

Para fazer a instalação do Preload no Ubuntu, abra o terminal com o atalho <Ctrl+Alt+T> e digite o comando abaixo:

$ sudo apt-get install preload

Agora… bom, era só isso mesmo. O serviço rodará em background como falei anteriormente, portanto você não precisa fazer mais nada.

Troque a Swap por zRam

Já falei anteriormente sobre como melhorar a performance do Ubuntu com zRam, mas vale a pena dar uma conferida novamente. O zRam aumenta a performance ao evitar a paginação de disco usando um dispositivo de bloco comprimido na memória RAM, que fica responsável pela paginação, até quando for necessário usar o espaço swap no disco rígido. Em outras palavras, ele usa esse dispositivo de bloco comprimido na memória RAM para paginação ao invés de usar primeiro a paginação em disco propriamente dita (obrigado Tiago!).

Para fazer a instalação do zRam no Ubuntu, abra o terminal com o atalho <Ctrl+Alt+T> e digite o comando abaixo:

$ sudo add-apt-repository ppa:shnatsel/zram && sudo apt-get update && sudo apt-get install zramswap-enabler -y

Como o suporte ativo, basta aproveitar o ganho em performance. Por experiência própria, em máquinas com mais de 1 gigabyte de memória RAM os ganhos não serão tão perceptíveis, mas com máquinas com 1 gigabyte ou menos os ganhos são quase monstruosos, o que me faz perguntar porque cargas d’água a Canonical não deixa o recurso ativo por padrão no Ubuntu.
Desative serviços que inicializam junto com o sistema

Inúmeros softwares e serviços iniciam junto com o seu sistema operacional, independente de qual você usa. Desativar alguns pode diminuir o tempo que seu computador leva para tornar-se utilizável e diminuir o consumo de memória RAM.

Por padrão todos esses softwares e serviços criam uma entrada no menu Aplicativos de sessão, mas a partir do Ubuntu 12.04 essas entradas são ocultas, impossibilitando a desativação dos mesmos. Como no mundo Linux tudo é customizável, essa decisão da Canonical também é, então vamos tornar as entradas visíveis para desativar o que não usamos.

Abra o terminal com o comando <Ctrl+Alt+T> e digite o seguinte comando no terminal:

$ sudo sed -i "s/NoDisplay=true/NoDisplay=false/g" /etc/xdg/autostart/*.desktop

Agora que todas as entradas estão visíveis, clicar no ícone da engrenagem no canto superior direito do seu desktop e depois em Aplicativos de sessão. Desative serviços que você não usa, mas tome cuidado para não desativar serviços ou softwares importantes para o sistema. Se você não sabe o que determinado serviço faz, não o desative.

Desative softwares que inicializam junto com o sistema operacional

Alguns exemplos de entradas que desativei no computador da minha namorada:

Agente de chaves SSH: só faço login via SSH nos meus servidores usando meu notebook, e ela com certeza não precisa disso;

Bate-papo: entrada do Empathy. Porque iniciar o software junto com o sistema se, assim como eu, ela prefere usar o GTalk no próprio Gmail?

Compartilhamento da área de trabalho: serviço que, pessoalmente, nunca uso e duvido que ela usará;

Compartilhamento de arquivos pessoais: todos os nossos arquivos ficam no meu notebook, e não pretendemos compartilhar arquivos de mais do que alguns kilobytes entre os computadores, o que pode facilmente ser resolvido usando um pendrive;

Gerenciador Bluetooth: o computador que montei pra ela não tem bluetooth, então não há motivos para deixar esse serviço rodando;

Gwibber: o Gwibber come recursos da máquina do mesmo jeito que o Homer toma cerveja, então com certeza fica de fora. De qualquer forma, ela prefere a interface web do Twitter e o Polly, um ótimo cliente para Twitter;

Monitor de cópia de segurança: como todos os arquivos importantes ficam no meu notebook e meus backups são sincronizados com o Ubuntu One, não precisamos de backups no computador dela;

Onboard e Orca screen reader: dois serviços que ela também não precisa, felizmente;

Protetor de tela: sempre achei protetores de tela um saco e ela também não gosto, então serviço desativado;

Ubuntu One: o serviço de sincronização de arquivos na nuvem da Canonical é ótimo, mas não há necessidade de inicia-lo junto com o sistema (ou sequer instala-lo) em um computador que não tem nada para sincronizar;

Verificar novos drivers: todos os componentes deste computador possuem drivers open source, então não há necessidade para os drivers adicionais. Caso eu venha a adicionar uma placa de vídeo (e vou, para ela jogar Ryzom comigo) mais tarde, o serviço é facilmente inicializável usando o dash do Unity.

Lembrando que para desativar uma entrada você deve desmarcar a caixa ao lado dela :)

Use uma interface gráfica mais leve

O Unity deve rodar muito bem caso você tenha 1 gigabyte de memória RAM e pelo menos um processador dual core como é o caso do computador da minha namorada, mas se você ainda tiver um single core e menos de 1 gigabyte de RAM, provavelmente o Ubuntu ficará um pouco pesado para sua máquina.

Lubuntu 12.04: visual mais simplista, mas consome bem menos recursos da sua máquina

Nesses casos você pode considerar usar interfaces gráficas mais leves, como o LXDE e o XFCE, ou até mesmo usar distribuições alternativas que já usam essas interfaces, como é o caso do Lubuntu e do Xubuntu. Para vocês terem uma ideia, o Lubuntu usa apenas 130 megabytes de memória em uma instalação padrão, um número bem atraente.

Você também tem a opção de usar o Gnome Classic no Ubuntu 12.04, quase da mesma forma que era até o Ubuntu 11.04. A interface não é tão leve como o LXDE, mas é mais leve que o Unity.

Use softwares que exigem menos do seu hardware

Da mesma forma que usar uma interface gráfica mais leve pode ajudar, usar softwares que exijam menos do seu hardware também irá ajudar consideravelmente. Se você só usa o LibreOffice de vez em quando para digitar um texto ou escrever um trabalho de escola, que tal substitui-lo pelo Abiword por exemplo? Você terá menos recursos, mas isso não irá importar porque o que você precisa estará lá. Você pode até abolir esses softwares e usar o Google Docs.

Que tal substituir o LibreOffice pelo Google Docs, como eu faço?

Ao invés do Google Chrome ou do Firefox você pode usar o Midori, um navegador web bastante leve, com recursos bem interessantes e muito rápido. Você pode encontrar alternativas mais leves para quase qualquer software disponível no Ubuntu, basta googlar um pouco :)

Dica de ouro: use a cabeça para pensar

A última dica é provavelmente a mais importante: use sua cabeça para pensar, não apenas para segurar seus cabelos. Vejo muitos usuários reclamando do Ubuntu simplesmente porque a versão mais nova, lançada em 2012, não roda em seu computador do tempo em que a Hebe era virgem. Usem a cabeça pessoal, estamos falando de um sistema operacional de 2012, é claro que ele exigirá mais do seu hardware do que sistemas operacionais mais antigos.


Fiquem ligados hein? Todos sabem que o Yoda não mente

Já que estamos usando a cabeça para pensar, que tal desinstalar aquelas 150 extensões do Google Chrome e Firefox que você tem instalado e não usa? Extensões também consomem memória RAM e processamento, então se você não usa alguma, desative-a. Você realmente precisa daquela extensão que lhe mostra os últimos tweets as custas de 100 megabytes de memória RAM? Usar a interface web não é tão ruim assim.

E finalmente, deixe a preguiça de lado e faça as atualizações do Ubuntu. Tenho certeza de que muitos usuários não o fazem e não sabem que com atualizações, ganhos em performance podem aparecer. Vocês sabiam que o Unity 5.12 corrigiu os erros de performance OpenGL? Pois é, quem atualizou ganhou inúmeros FPSs a mais em seus aplicativos OpenGL, como os games do último Humble Bundle por exemplo.

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Copyright © 2013 O Espaço do Software Livre