Richard Stallman chama Ubuntu de "spyware"


O presidente da Free Software Foundation, Richard Stallman, chamou o Ubuntu GNU/Linux de "spyware" porque o sistema operacional envia dados para fabricante Ubuntu, a Canonical, quando um usuário pesquisa no desktop. Mas parece que sua queixa já está caindo em ouvidos surdos da Canonical que afirmou hoje que planeja aumentar o uso do recurso na próxima versão do Ubuntu.

Richard Stallman - fundador do movimento do software livre

No Ubuntu 12.10 quando você pesquisa no Dash (o ponto de pesquisa para encontrar o material na interface de desktop Unity) para arquivos e aplicativos retorna não só apenas resultados de desktop local do usuário, mas também os resultados comerciais da Amazon, como relatado em setembro antes do lançamento do sistema operacional. Se um usuário compra algo da Amazon, como resultado, o dinheiro é enviado para a Canonical na forma de pagamentos de afiliados.

Reclamações dos usuários forçaram o fundador da Canonical, Mark Shuttleworth, saísse em defesa do recurso em seu blog, mas os resultados comerciais da Amazon foram implementadas no Ubuntu 12.10, como previsto. Stallman, o hacker que iniciou o movimento do software livre, publicou sua própria visão sobre o assunto hoje, e ele foi crítico como era de se esperar.

Ubuntu, amplamente utilizado e influente distribuição GNU/Linux, instalou código de vigilância", Stallman escreveu em um post intitulado "Ubuntu Spyware: o que fazer?". "Quando o usuário procura seus próprios arquivos locais para uma string usando o desktop do Ubuntu, é enviado informações aos servidores da Canonical que usa-as para mostrar os anúncios do usuário assuntos relativos.

A Amazon comete muitos erros (ver http://stallman.org/amazon.html ) promovendo-a, a Canonical contribui para o aumento das vendas. No entanto, os anúncios não são o cerne do problema A questão principal é a espionagem da Canonical diz que não repassar para a Amazon".

Canonical fornece uma maneira fácil de mudar os resultados da pesquisa online, você pode desligar a lente da Amazon:


MAS STALLMAN DIZ QUE ISSO NÃO É SUFICIENTE

"O Ubuntu permite aos usuários desliga a nte da Amazon. A Canonical pensa que muitos usuários do Ubuntu vão deixar essa configuração no estado padrão (on). E muitos farão isso, porque muitos não estão atento às suas privacidades. Assim, a existência desse interruptor não resolve a questão da vigilância".

"Mesmo se fosse desativado por padrão, o recurso ainda seria perigoso: manter este recurso é uma prática arriscada, onde o risco varia de acordo com detalhes convidada pelo descuido. Para proteger a privacidade dos usuários, os sistemas devem fazer prudência fácil: quando um programa de pesquisa local tem este recurso de pesquisa de rede, ele deve oferecer ao usuário a escolha da pesquisa de rede mostrada sempre. Fazer isso é fácil: basta ter botões separados para pesquisas na rede e buscas locais, como as versões anteriores do Ubuntu fez. A funcionalidade de pesquisa da rede também deve informar ao usuário de forma clara e concreta sobre quem vai obter suas informações pessoais quando ela usa o recurso".

CANONICAL NO CAMINHO CONTRÁRIO

Pedimos à Canonical uma resposta. A empresa apontou-nos um post do seu blog. O post não é uma resposta direta ao Stallman, ele fala sobre os planos que a Canonical tem para expandir os resultados de pesquisa da Internet no Dash no Ubuntu 13.04, a próxima versão da distribuição.

Isso significa que "uma pesquisa por 'The Beatles' é susceptível de desencadear os escopos de música e vídeo, mostrando os resultados que irão conter fontes locais, online, inclusive sua nuvem pessoal (Ubuntu One), bem como outras fontes livres e comerciais, como o YouTube, Last.fm, Amazon, etc" - escreveu Cristian Canonical Parrino. "Para conseguir isso, o Dash vai chamar um serviço inteligente que irá retornar os resultados da pesquisa on-line, que o Dash, então, equilibrará com os resultados locais para retornar as informações mais relevantes para o usuário".

A Canonical diz que pode fazer isso de uma forma que não viole a privacidade do usuário. "Os dados que coletamos não identifica o usuário (nós automaticamente registramos os usuários como anônimos e que a informação nunca está disponível para as equipes que prestam serviços para os usuários finais), deixamos os usuários conscientes de quais dados serão coletados e que os serviços de terceiros serão consultados através de um aviso no Dash, e nós apenas recolhemos os dados que nos permite oferecer uma experiência de pesquisa para os usuários" - disse Parrino. "Nós também reconhecemos que há sempre uma minoria de usuários que preferem proteção completa de dados, muitas vezes evitam serviços como o Google, Facebook, Twitter por motivo de privacidade, alternando suas configurações de pesquisa.

A fundadora do Ubuntu está claramente buscando financiamento. É por isso que ele está pedindo aos usuários para doarem dinheiro (quando vão fazer o download do OS) para o desenvolvimento do Ubuntu. A Canonical certamente sabia que juntamente com os recurso viriam as críticas por incluindo resultados de pesquisas da Amazon em pesquisas desktop, mas deve ter decidido que a maioria gostaria do recurso e que isso traria dinheiro suficiente para fazer valer as críticas.

Stallman nunca iria ser um fã do Ubuntu, já que inclui alguns repositórios de software não-livre. Mas os resultados da pesquisa da Amazon pioraram as coisas, ele escreveu: "Todas as ofertas de desculpa da Canonical é inadequada". Escreveu ele: "Mesmo se ele usou todo o dinheiro que recebeu da Amazon para desenvolver software livre, ou que dificilmente poderá superar o que o software livre vai perder se deixar de oferecer uma forma eficaz de evitar o abuso à privacidade dos usuários".

Stallman concluiu com um apelo para que as pessoas recomendem ou redistribuam sistemas operacionais livres e "remover o Ubuntu das distros que você recomendaria ou redistribuir". Ubuntu ainda é a mais popular distribuição GNU/Linux. Enquanto nós suspeitamos que a maioria dos "normais" os usuários do Ubuntu estarão satisfeitos com o botãozinho on/off para alternar entre os resultados da pesquisa on-line, isso levará um número significativo de usuários que fugirão para uma distribuição alternativa.

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

O conteúdo deste blog/site pode e deve ser divulgado, conforme lei a 9.610/98 meus direitos estão assegurados, portanto eu permito a copia e reprodução gratuita, seja total ou parcial, não acarretando qualquer onûs financeiro aos interessados, porém, vedo o uso para fins lucrativos, toda reprodução para o público deve citar a fonte extraída, no caso o Técnico Linux - O Espaço do Software Livre e seja citada junto com um link para a postagem original, onde a referência deve estar numa fonte de tamanho igual ou maior a do texto, obviamente que os links citados não estão sujeitos ao mesmo termo. O conteúdo textual original desta página está disponível sob a licença GNU FDL 1.2.

Todas as marcas citadas pertencem aos seus respectivos proprietários. Os direitos autorais de todas as ilustrações pertencem aos respectivos autores, e elas são reproduzidas na intenção de atender ao disposto no art. 46 da Lei 9.610 - se ainda assim alguma delas infringe direito seu, entre em contato para que possamos removê-la imediatamente ou ainda lhe dar os devidos créditos.

Copyright © 2016 O Espaço do Software Livre