Como rodar games e Apps do Android no Linux - Tutorial


Rodando aplicativos e games em 3D no Linux

Primeiramente gostaria de deixar claro que os procedimentos a seguir podem ser utilizados em qualquer distribuição, porém como eu uso o Linux Mint e Ubuntu os procedimentos serão descritos nesta distribuições, em caso de dúvidas use a sessão de comentários do site.

O que é o AndroidVM?

A ideia inicial do projeto é simples, executar tão bem quanto possível o Android em plataformas virtuais como o Virtual Box. As últimas versões disponíveis estão na ultima versão do Android também, sendo assim, nova máquina virtual Android vai rodar a versão Jelly Bean do Sistema, neste projeto foram adaptados recursos do sistema para ser rodado exclusivamente no Virtual Box, desta forma o uso de outro emulador de máquina virtual é desaconselhável, porém o mesmo projeto deverá rodar no Windows também, desde que este use o Virtual Box também.
Instalação e configuração

Gostaria de informar que li a respeito desta notícia no Ubuntu Vibes, mas como seguindo somente aquelas instruções não obtive o melhor resultado, estou reescrevendo com algumas mudanças e observações.

Você poderá baixar os arquivos necessários através desta página. Os arquivos OVA que estão dispostos e os Android VM estão na versão Jelly Bean, o que diferencia um do outro é a resolução da tela, algumas são mais adequadas a versões de smartphones e outras adaptas para tablets.

Você pode baixar a que quiser, mas quiser baixar a mesma que eu, baixe esta.
O Ubuntu Vibes sugere que baixemos também, outros arquivos, como o Android VM, particularmente estes arquivos não fizeram uma grande diferença, a ideia do AndroidVM é executar o sistema operacional do Google em uma tela em separado. Baixe o arquivo mesmo assim, caso você não utilize como eu, bastará deletá-lo. Existem versões para Windows, Linux e Mac, baixe a versão para Linux referente a arquitetura do seu processador, se for 32 bits ou 64 bits, caso você não saiba como verificar qual é a arquitetura do seu sistema, sugerimos que leia este artigo e depois volte aqui.

Instalando o Virtual Box

Para usarmos os arquivos que baixamos vamos precisar instalar o Virtual Box, em ambos os casos no Linux Mint ou no Ubuntu, você poderá instalar via central de programas, caso prefira via terminal faça:

$ sudo apt-get install virtualbox + enter


Depois de instalado o Virtual Box

Precisamos configurar a máquina virtual para que ela dê acesso a rede ao Android que vamos instalar, para isso acesse o menu de configurações do Virtual Box e na guia Rede ou Network, adicione uma nova conexão:


Dê OK, e adicione o arquivo OVA que você baixou na máquina virtual, depois da importação, vá nas configurações do sistema da máquina virtual Android:


Na aba de configurações do sistema o mais importante é habilitar a aceleração por Hardware, na aba aceleração, nas abas processadores e placa-mãe, você define quanto do processador da sua máquina será dedicado ao Virtual Box e quanta memória, obviamente quanto mais processador e memória melhor.
Outra modificação que devemos fazer é na guia Monitor, habilite a opção aceleração 3D.


Nesta mesma aba você pode aumentar a memória de vídeo até 128 ( no meu caso ), deixe no máximo.

Na aba que se refere a configurações de rede vamos definir qual será o adaptador de rede da nossa máquina virtual.


Vamos selecionar a conexão que criamos no primeiro passo selecionando a opção, Host-only Adapteer ou Placa de rede exclusiva do hospedeiro em português.

Agora vamos rodar o Android

Feitas todas as configurações, agora é hora de botar o Android para rodar, dê dois cliques na máquina virtual ou clique em iniciar ( start ).
As configurações normais do Android ( para Tablet se você baixou o mesmo arquivo que nós) se seguirão, aceite os termos, cadastre a sua conta Google..
O mouse será equivalente ao seu dedo na tela do Android, na tela de bloqueio deslize para o cadeado aberto para desbloquear o sistema.


Depois que você abrir o seu sistema existe um pequeno app para a configuração do AndroidVM, clique nele e habilite a aceleração 3D por OpenGL.


Depois disso o sistema vai reiniciar, após isso você poderá usar o Android normalmente, instale alguns apps pelo app do Google Play, alguns jogos 3D e teste o sistema.

Confira algumas telas:







Uma dica um tanto obvia, eu sem pensar instalar o Game Speed Night Moto, jogo que se utiliza dos sensores de gravidade dos smartphones e tablets, coisa que obviamente a máquina virtual não disponibiliza, nem você virando o monitor rsrsrs, portanto procure games que não se utilizam deste recurso.

Algumas games infelizmente não rodam, como foi o caso do Resident Evil 4, mas dá pra fazer testes dos seus softwares, e ainda usar alguns bons recursos do sistema Android.

Se a sua intenção é usar a VM para testar os seus programas, talvez lhe interesse em conhecer a suite SDK para programar para Android que é possível instalar no Ubuntu, acesse aqui.

Opcional

Como sitamos anteriormente, no artigo do Ubuntu Vibes eles se utilizaram um arquivo chamado AndroidVM para rodar o Android Externamente, quero deixar claro que para mim não funcionou, mas caso você queira tentar, basta extrair os arquivos que você baixou, abrir o terminal e navegar até a pasta de arquivos extraídos e rodar o comando:

$ ./run.sh 1024 600 160 + enter

Usando os parâmetros de resolução e DPI que você desejar.

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

O conteúdo deste blog/site pode e deve ser divulgado, conforme lei a 9.610/98 meus direitos estão assegurados, portanto eu permito a copia e reprodução gratuita, seja total ou parcial, não acarretando qualquer onûs financeiro aos interessados, porém, vedo o uso para fins lucrativos, toda reprodução para o público deve citar a fonte extraída, no caso o Técnico Linux - O Espaço do Software Livre e seja citada junto com um link para a postagem original, onde a referência deve estar numa fonte de tamanho igual ou maior a do texto, obviamente que os links citados não estão sujeitos ao mesmo termo. O conteúdo textual original desta página está disponível sob a licença GNU FDL 1.2.

Todas as marcas citadas pertencem aos seus respectivos proprietários. Os direitos autorais de todas as ilustrações pertencem aos respectivos autores, e elas são reproduzidas na intenção de atender ao disposto no art. 46 da Lei 9.610 - se ainda assim alguma delas infringe direito seu, entre em contato para que possamos removê-la imediatamente ou ainda lhe dar os devidos créditos.

Copyright © 2016 O Espaço do Software Livre