Corrigindo problemas de contraluz em fotos

Com o Gimp é muito simples corrigir problemas de contraluz em fotografias.

A luz é um elemento fundamental na fotografia. Entretanto, o contraluz pode ser uma baita encrenca na hora de fotografar. Por outro lado, também pode ser de grande utilidade em uma foto. Mas o que é contraluz?


Contraluz é quando existe uma luz de fundo mais forte que a luminosidade do objeto a ser fotografado. Esse objeto pode ser uma pessoa, uma árvore, um monumento, etc. Contraluz é exatamente o que isso quer dizer: a fonte de luz está atrás do objeto fotografado, ou seja, na sua frente, contra você.

Existe o contraluz proposital, que é uma foto planejada, quando usamos as condições do ambiente ao nosso favor, fazendo o que é chamado na fotografia de silhueta, cujos resultados produzem cliques espetaculares. Mas quando isso não foi planejado, o resultado pode ser desastroso e aquela foto inesquecível ficar bem desagradável.

Mas calma! Pode ser que ainda seja possível salvar aquela foto que ficou com intensa claridade numa determinada área e escura exatamente no objeto que foi fotografado. O Gimp não faz milagres, mas com umas pequenas mexidas já dá para atingir resultados de cair o queixo.

Veja a foto abaixo:


A foto não está ruim, mas o primeiro plano ficou bastante escuro. A primeira ideia que surge na mente da maioria das pessoas seria aumentar o brilho. Mas fazer isso seria trágico:


Tal tentativa afetaria consideravelmente as áreas escuras, distorcendo a coloração da foto. Áreas escuras tornariam-se acinzentadas.


Tentar compensar o estrago aumentando o contraste, também não ajuda, podendo até causar outro estrago maior ainda:


A solução está no ajuste de níveis, disponível no Gimp a partir do menu Cores, e depois Níveis... A ferramenta serve para corrigir o intervalo de tons e o equilíbrio de cores de uma imagem, ajustando os níveis de intensidade das sombras, tons médios e realces da imagem.


Eis a janela dos níveis. É interessante entender o que significa o gráfico que aparece na janela, chamado de histograma. À esquerda ficam os tons mais escuros; à direita, os mais claros. No gráfico, você vê quantos pixels estão em cada faixa de tonalidade. Nesta imagem, por exemplo, há muitos pixels concentrados no canto esquerdo do histograma, indicando que a foto está bastante escura. Quando há muitos pixels na área central do histograma, indica que a foto tem pouco contraste. Deixe a Pré-visualização ativada para vermos as transformações antes de dar OK.

Nos níveis de entrada, ao puxar as setinhas para a esquerda, você “força” pixels mais escuros a ficarem mais claros, sem que isso provoque grades interferências sobre os pixels que já são claros. Ao puxar para a direita, você escurece pixels mais claros, mantendo as características dos pixels que já estão escuros. As setinhas dos cantos, tendem a acentuar o contrate. Utilize a seta do meio é a mais adequada para editar os chamados “meio-tons”, mantendo a qualidade da imagem como um todo.

No controle deslizante dos níveis de saída, ele já altera a imagem como um todo. Não é recomendável mexer demais nesse controle, a não ser que você queira brincar com a foto.


Após dar OK e abrirmos os níveis novamente, veja como o histograma ficou mais bem distribuído. Isso significa que tanto o contraste como as áreas de luminosidade estão mais equilibradas.

A grande vantagem de se usar os Níveis é pelo fato de não provocar distorções de luminosidade na foto como um todo, mas sim tom a tom.

Compare o resultado antes e depois:


A imagem acima já diz tudo não é mesmo?

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

O conteúdo deste blog/site pode e deve ser divulgado, conforme lei a 9.610/98 meus direitos estão assegurados, portanto eu permito a copia e reprodução gratuita, seja total ou parcial, não acarretando qualquer onûs financeiro aos interessados, porém, vedo o uso para fins lucrativos, toda reprodução para o público deve citar a fonte extraída, no caso o Técnico Linux - O Espaço do Software Livre e seja citada junto com um link para a postagem original, onde a referência deve estar numa fonte de tamanho igual ou maior a do texto, obviamente que os links citados não estão sujeitos ao mesmo termo. O conteúdo textual original desta página está disponível sob a licença GNU FDL 1.2.

Todas as marcas citadas pertencem aos seus respectivos proprietários. Os direitos autorais de todas as ilustrações pertencem aos respectivos autores, e elas são reproduzidas na intenção de atender ao disposto no art. 46 da Lei 9.610 - se ainda assim alguma delas infringe direito seu, entre em contato para que possamos removê-la imediatamente ou ainda lhe dar os devidos créditos.

Copyright © 2016 O Espaço do Software Livre