Exemplo de animação de recortes (cutout) usando Tupí

Este material foi originalmente postado aqui por Gustavo Deveze e Gustav Gonzalez e estamos reproduzindo aqui em nosso blog para que todos os nossos visitantes tenham a oportunidade de conhecer mais essa fantástica ferramenta. 



A seguinte é uma revisão de nossa experiência fazendo um exercício de animação usando Tupí. Para testar esta ferramenta, criamos um filme para descobrir (ou demonstrar) o potencial de suas funcionalidades e, também, para conhecer a suas limitações.


Inicialmente, tentamos construir uma animação usando a técnica tradicional de desenho quadro a quadro (usando Tupí como uma mesa "paperless"), depois de algum tempo, percebemos que, apesar de ser útil para fazer esboços básicos, não é viável se você pretende compor projetos complexos de alta qualidade. No final, decidimos tentar a técnica de recortes (cutout).

Em poucas palavras, a técnica de recortes consiste na construção de seus personagens utilizando partes móveis e substituíveis como em um quebra-cabeça. Dessa forma, um braço é um objeto independente do corpo e pode ser movido girando-a sobre o ponto de ombro ou mesmo substituindo-a por outra imagem do braço em uma posição diferente, dependendo de o que você quiser fazer.

O mesmo conceito se aplica para a boca do personagem quando ele está falando. Um conjunto de formas de boca representando os sons da voz diferentes foram usados ​​para sincronizar os diálogos do personagem (entendendo que a forma da boca muda dependendo da letra que se esta falando).

A mesma técnica foi usada para os movimentos da cabeça, o ciclo de caminhada do personagem, etc. Acreditamos que Tupí é uma boa ferramenta para fazer projetos de recorte porque você pode ampliar, diminuir, girar e mover cada pedaço da cena, incluindo os fundos e os "over-layers" (as partes que estão entre o espectador e o personagem). Todas essas transformações permitem que você jogue com menos peças mas com grandes possibilidades dentro das limitações da animação de recorte.

Para fazer as partes do personagem, nós usamos una ferramenta chamada Inkscape(http://inkscape.org). Cada parte foi salva como um arquivo SVG e depois foram importadas desde Tupí usando a interface da biblioteca de ele.

Figura 1. Partes do personagem [ Arquivo Fonte SVG ]

O personagem próximo ao asterisco vermelho grande na parte inferior esquerda da imagem acima, esta formada pelas partes marcadas com um asterisco mais pequeno. Seguindo o mesmo ordem, o personagem é "reconstruída" no área de trabalho do Tupí. Dependendo da complexidade do personagem e sua posição o número de peças de ela pode variar.

Nota: A figura 1 é apenas um conjunto parcial das peças utilizadas neste exercício.

Figura 2. Braço flexionado do personagem

Figura 3. Braço estendido do personagem

As duas imagens acima correspondem aos "braços" do personagem prontos para ser exportados como arquivos SVG desde o Inkscape.
Nota: Esta ferramenta oferece a opção de exportar objetos como imagens PNG. Isto lhe dará a flexibilidade de trabalhar com imagens raster diretamente se você quiser.

Agora, vamos assistir este vídeo de cinco minutos, mostrando algumas etapas do processo de animação para o nosso projeto, usando Tupí. Preste muita atenção ao jeito como o animador manipula as peças do personagem para criar a ilusão de movimento:

Video 1. Interface do Tupí [ Arquivo Fonte TUP ]

Para compor o fundo, escolhemos algumas fotos manipuladas previamente com a aplicação Gimp (http://www.gimp.org/). Em alguns casos foram divididas em camadas de imagens (para criar algumas camadas over-layer como a da mesa de vidro em uma das cenas). Cada um dos fundos foi salvado como arquivo PNG e então importado no Tupí.

Figura 4. Fundo da cena

Figura 5. Over-layer para a mesma cena

Para sincronizar as expressões do personagem com a sua voz nós usamos a aplicaçãoJlipsync (http://jlipsync.lamhauge.dk/). Com esta ferramenta você pode calcular o tempo, em termos de quadros, de cada letra e cada silêncio e a gravação da voz. A interface tem um preview com as formas das bocas para verificar que os movimentos sejam consistentes com a voz que você querê utilizar para seu projeto.

A saída do software é uma planilha que você pode usar como referência para animar o personagem seguindo o ritmo/velocidade da voz.

Figura 6. Jlipsync Interface

Os dados da planilha são copiados e colados em o Inkscape e em seguida, exportados comoarquivo PDF para fácil referência durante o processo de animação.

A gravação da voz original foi melhorada usando a aplicação Audacity(http://audacity.sourceforge.net/). Além disso, criamos um pequeno loop com o som ambiente para cobrir os segundos anteriores à introdução do personagem.

Figura 7. Interface do Audacity

Finalmente, para combinar todas as cenas geradas com o Tupí e as camadas de som (vozes, ruído ambiente e música de fundo) foi utilizado o editor de vídeo chamado Pitivi(http://www.pitivi.org/).

Figura 8. Interface do Pitivi

Gostaríamos de dizer que durante este exercício muitas correções foram feitas no código-fonte do Tupí a fim de melhorar a experiência do usuário. Por isso, agradecemos o feedback da equipe de animação pelo apoio.

Uma vez que esta pesquisa foi finalizada, o filme terminado foi publicado em VimeoYoutube.



Nota: Nós acreditamos que em versões futuras o Tupí será uma ótima alternativa como software "paperless".

Quer saber mais? Clique aqui

Assista outro exemplo abaixo:

0 comentários:

O conteúdo deste blog/site pode e deve ser divulgado, conforme lei a 9.610/98 meus direitos estão assegurados, portanto eu permito a copia e reprodução gratuita, seja total ou parcial, não acarretando qualquer onûs financeiro aos interessados, porém, vedo o uso para fins lucrativos, toda reprodução para o público deve citar a fonte extraída, no caso o Técnico Linux - O Espaço do Software Livre e seja citada junto com um link para a postagem original, onde a referência deve estar numa fonte de tamanho igual ou maior a do texto, obviamente que os links citados não estão sujeitos ao mesmo termo. O conteúdo textual original desta página está disponível sob a licença GNU FDL 1.2.

Todas as marcas citadas pertencem aos seus respectivos proprietários. Os direitos autorais de todas as ilustrações pertencem aos respectivos autores, e elas são reproduzidas na intenção de atender ao disposto no art. 46 da Lei 9.610 - se ainda assim alguma delas infringe direito seu, entre em contato para que possamos removê-la imediatamente ou ainda lhe dar os devidos créditos.

Copyright © 2016 O Espaço do Software Livre