Professor explica matemática de forma inovadora no Youtube e já coleciona 80 mil seguidores

Rafael Procopio fala sobre o Matemática Rio no encontro internacional Educação 360 - Marcelo Piu / Agência O Globo


O Brasil é um caso à parte na Matemática. Se o brasileiro Arthur Ávila trouxe a primeira Medalha Fields para o país no mês passado, considerada o "Prêmio Nobel" da disciplina, nossos estudantes na educação básica ficaram entre a 57ª e a 60ª posições no ranking de 65 economias globais que participaram de provas do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) de 2012 . Mas se o cenário pode não ser tão animador, pequenas iniciativas que brotam de Norte a Sul mostram que as equações e frações podem não ser o bicho de sete cabeças na escola.

Foi isso que o professor Rafael Procópio, de 31 anos, quis demonstrar ao tentar solucionar os problemas que envolvem o ensino da Matemática. Em 2010, Rafael lançou no Youtube o canal "Matemática Rio", cuja intenção inicial era apenas postar videoaulas que serviriam como complemento ao conteúdo que ele passava na Escola Municipal Rosa da Fonseca, na Zona Oeste do Rio, onde ele trabalha. Seria apenas mais um caso de educador que utiliza as novas ferramentas da tecnologia para expandir o poder da aprendizagem.

No entanto, empolgado com a audiência que conquistara em pouco tempo, o docente resolveu inovar, lançando vídeos onde explica fórmulas, raíz quadrada e outros tópicos ao som de Anitta, Sorriso Maroto e Luan Santana. Resultado: em quatro anos, o Matemática Rio já conta com 80 mil seguidores no Youtube e 50 mil no Facebook:

- Meu vídeo de maior sucesso foi a paródia que fiz do funk do Quadradinho de Oito, que teve sete milhões de acessos. Mas engana-se quem pensa que eu gosto de fazer paródia. Elas servem no máximo para entreter o aluno e atraí-lo para a Matemática. Não serve para ensinar muita coisa, no máximo para decorar - explicou Rafael durante uma das palestras do seminário Educação 360.


De fato, dos 485 vídeos já publicados no canal até agora, poucos são paródias de músicas populares. O sucesso do Matemática Rio está, na verdade, na forma inteligente como os conteúdos são trabalhados. Um dos trabalhos, por exemplo, reproduz o episódio em que o jovem matemático alemão Johann Carl Friedrich Gauss, então com 12 anos, descobriu a fórmula da progressão aritimética no final do século XVIII enquanto cumpria um castigo imposto pelo seu professor, que o teria obrigado a fazer a soma dos números inteiros de um a 100.

Toda a cena foi reconstruída por Rafael, sendo o ator principal - o Gauss - um de seus alunos da escola da rede municipal do Rio. O vídeo "Carlos Frederico Gauss" já teve quase seis mil visualizações.

- Esse é um dos tipos de vídeo que mais fazem sucesso no meu canal, o que trabalha ao mesmo tempo a curiosidade da matemática com humor e de uma forma leve - conta Rafael.

No Matemática Rio, há desde desafios matemáticos até aulas específicas sobre determinado tema, mas sempre dadas na linguagem do aluno. Se em um vídeo o estudante pode aprender sobre parábolas, em outro é possivel saber como fazer um dodecaedro com papel e responder a desafios matemáticos, alguns até virais em redes sociais.

Rafael ressalta que o material que produz é sempre um complemento ao que ensina em sala de aula, ou seja, o aluno não pode fugir da temida aula de frações. No entanto, é quando o estudante chega em casa que os vídeos fazem a diferença.

- Os mais interessados vão procurar aquele tema na internet para procurar um reforço ou outra forma de explicação para aquela matéria, e acabam achando o meu canal. É até por isso que eu nunca me limitei a fazer videoaulas, porque assim eu estaria apenas replicando o modelo tradicional de aula para o audiovisual. E nada mais.

0 comentários:

O conteúdo deste blog/site pode e deve ser divulgado, conforme lei a 9.610/98 meus direitos estão assegurados, portanto eu permito a copia e reprodução gratuita, seja total ou parcial, não acarretando qualquer onûs financeiro aos interessados, porém, vedo o uso para fins lucrativos, toda reprodução para o público deve citar a fonte extraída, no caso o Técnico Linux - O Espaço do Software Livre e seja citada junto com um link para a postagem original, onde a referência deve estar numa fonte de tamanho igual ou maior a do texto, obviamente que os links citados não estão sujeitos ao mesmo termo. O conteúdo textual original desta página está disponível sob a licença GNU FDL 1.2.

Todas as marcas citadas pertencem aos seus respectivos proprietários. Os direitos autorais de todas as ilustrações pertencem aos respectivos autores, e elas são reproduzidas na intenção de atender ao disposto no art. 46 da Lei 9.610 - se ainda assim alguma delas infringe direito seu, entre em contato para que possamos removê-la imediatamente ou ainda lhe dar os devidos créditos.

Copyright © 2016 O Espaço do Software Livre