Protegendo a identidade cibernética de seu filho


A cada dia que passa, na condição de profissionais de Infosec, muitos se dedicam a proteger os bens mais valiosos de seus clientes, visando fortalecer os laços de confiabilidade e fidelidade. Para isso, os profissionais da área passam muitas horas, melhor dizendo, horas incontáveis, focados em manter os dados, a propriedade intelectual, os sistemas e os arquivos bem longe das mãos dos criminosos cibernéticos. Dessa maneira, os clientes só tem a ganhar e os profissionais também sentem-se vitoriosos, pela capacidade e competência no desempenho de um excelente trabalho. Entretanto, surge a seguinte indagação: o que está sendo feito em relação à proteção da identidade digital de nossas crianças?

Criminosos Cibernéticos Roubam Identidades de Crianças e Jovens

O roubo de identidade de crianças, pode considerado um dos crimes que mais vem crescendo nos últimos anos. Identidades de crianças e adolescentes, que gostam de passar muitas horas na Internet conversando com seus amigos, acessando suas redes sociais e navegando pelos sites de seu interesse, são roubadas 50 vezes mais do que a identidade dos adultos. O que acontece é que as pessoas, muitas vezes, estão excessivamente focadas em proteger seus filhos em relação às tantas ameaças do mundo real, que esquecem que no espaço cibernético os bandidos estão roubando a identidade das crianças para obter cartões de crédito, solicitar empréstimos, conseguir alugar de casas e até mesmo receber cuidados de saúde.

Identidades Roubadas Passam a ser Fonte de Alta Lucratividade

Além disso, os bandidos ganham dinheiro com a venda e revenda de identidade da mesma criança, em um verdadeiro loop que parece não ter fim. E eles fogem com esses dados, devido aos pais não pensarem sobre o monitoramento do seu filho ou a identidade da sua filha. Mas, por quê isso é importante? Essas crianças poderiam sair perdendo em trabalhos futuros, estágios e empréstimos que poderiam requerer, devido a uma verificação de antecedentes ou relatório de crédito, porque foram vítimas de roubo de identidade. Isso é um futuro que muitos pais estão tentando evitar para seus filhos, devido ao prejuízo e ao constrangimento que lhes poderia ser causado.

Necessidade de Maior Atenção à Segurança dos Jovens em Relação ao Convívio no Mundo Cibernético

De acordo com as declarações do executivo Chase Cunningham, ao contrário dos nossos clientes, gerentes de TI, advogados e executivos, parece que a atenção aos filhos só é levada em consideração quando eles estão ao nosso lado, sob as nossas vistas. E será que, talvez no turbilhão de dólares e declarações de renda, nós não estaríamos subestimando o valor de todos os ativos de nossa vida digital e isso envolveria a vulnerabilidade de nossos filhos? Isso porque, na condição de profissionais de Infosec, faz com que alguns de nós se esqueça sobre a criação de uma estratégia de segurança para os nossos filhos enquanto estes estão em casa, quando estamos advogando no âmbito da defesa cibernética, pois é o que fazemos todos os dias.

Se realmente queremos um futuro seguro, devemos perguntar-nos: “o quê” estamos fazendo para proteger as crianças que fazem parte de nossas vidas da mesma forma como nós fazemos em relação aos nossos clientes? As crianças não compram soluções de segurança de nível empresarial nos dias de hoje. Ainda não. Mas isso não significa que não temos uma responsabilidade social para ajudar o seu amanhã. É por isso que agora, é mais do que essencial trazer para casa as estratégias de segurança e proteção. E isso é algo que cada um de nós pode fazer.

Em face de tudo isso, Cunningham acrescenta que ele pode não ser capaz de entender a paixão que seu filho ou sua filha mantém com um determinado(a) jovem com a qual se relaciona através da grande rede, mas pode sim priorizar proteger sua identidade para que seu futuro não seja comprometido, e para que ele não caia em nenhum tipo de armadilha. E isso não cabe apenas a minha filha ou a meu filho; isso envolve todas as crianças que fazem parte da minha vida. Além disso, um caminho pelo qual os profissionais de segurança cibernética podem começar a proteger os nossos bens mais vulneráveis, é salvaguardando as identidades das crianças, sejam sobrinhas, sobrinhos, netos, vizinhos, amigos de nossos filhos, enfim, o que importa é proteger aqueles que pudermos e educar aqueles que precisam de uma atenção maior em relação ao assunto em questão.

Pais Precisam ser mais Atentos Quanto à Segurança da Identidade de seus Filhos

Muitos pais que estão fora dos círculos de segurança, não consideram a possibilidade de proteger a identidade de seus filhos de forma mais enérgica. Mas, como sabemos dos riscos dessa negligência, quando eles derem conta de que precisam fazer alguma coisa para proteger seus filhos, já será tarde demais. Então, é necessário começar ensinando aos pais os sinais de alerta, de que a identidade de seu filho pode estar em perigo. Aí vem as perguntas: Será que o IRS enviou uma notificação dizendo que seu filho não paga imposto de renda ou que o número de segurança social do seu filho foi usada em duplicidade? Você está recebendo cobranças ou contas em nome do seu filho para serviços que ele não tenha recebido? Se a sua carteira foi roubada, no momento do roubo, você estava levando informações sobre seus filhos dentro dela?

Se a resposta for sim a qualquer uma destas perguntas, é hora de agir! E como profissionais de Infosec, podemos incentivar os pais a fazer o seguinte:

1. Verifique se o seu filho tem um relatório de crédito, pedindo a cada empresa de comunicação. Faça um contato com Equifax, Serasa Experian e TransUnion – para executar uma busca manual de arquivo do seu filho. As empresas vão verificar se há menções de nome e número de segurança social dele, bem como todos os arquivos. Além disso, procure acompanhar o seu próprio relatório de crédito para as menções de seus filhos. Se o os registros de seu filho constarem nesses serviços, é um sinal de que alguém pode estar usando a identidade dele porque, por lei, as crianças menores de 18 anos não devem ser mencionadas em relatórios de crédito.

2. Solicitar aos relatórios das empresas de crédito para remover todas as contas e avisos de cobrança em nome do seu filho, assim como seu número de segurança social. Em seguida, coloque um alerta de fraude em sua conta e faça um boletim de ocorrência mencionando a prática de fraude junto a Comissão Federal do Comércio.

3. Considere a compra de um serviço que irá monitorar a identidade de seu filho, em busca de sinais de fraude de identidade. Este é um presente que deve ser dado às crianças que fazem parte da sua vida.

4. Cada festa de aniversário “Sweet 16″, não deve ser considerada completa, até que você tenha verificado o relatório de crédito da sua filha ou de seu filho. Dessa forma, se você encontrar qualquer evidência de fraude ou mau uso dos dados deles, você terá tempo para corrigi-lo antes de submetê-lo a um empréstimo envolvendo questões profissionais, escolares, a compra de um carro ou até mesmo a compra de um novo apartamento.

Maior Cuidado no Tratamento das Informações Relacionadas aos Filhos

Lembre-se de tratar a informação pessoal do seu filho como você trata o seu próprio. Estar especialmente protegido quando se trata de compartilhar a identidade do seu filho é primordial, porque você pode estar colocando o seu futuro em risco. E de acordo com o executivo Chase Cunningham, na minha dele, as suas filhas são os ativos mais valiosos de todos. Então profissionais de Infosec – lembrem sempre da enorme necessidade de proteger os ativos de suas crianças e jovens, da mesma forma que é feito com os seus melhores clientes. Nossas crianças merecem o melhor que lhes podemos dar neste mundo digital, e uma identidade livre de fraudes e abusos é um ótimo começo. Como nossos filhos fazem parte do mundo digital de forma cada vez mais estreita, é preciso ser pais vigilantes e atentos ao movimento e a todas as atividades que eles desempenham na Web.

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

O conteúdo deste blog/site pode e deve ser divulgado, conforme lei a 9.610/98 meus direitos estão assegurados, portanto eu permito a copia e reprodução gratuita, seja total ou parcial, não acarretando qualquer onûs financeiro aos interessados, porém, vedo o uso para fins lucrativos, toda reprodução para o público deve citar a fonte extraída, no caso o Técnico Linux - O Espaço do Software Livre e seja citada junto com um link para a postagem original, onde a referência deve estar numa fonte de tamanho igual ou maior a do texto, obviamente que os links citados não estão sujeitos ao mesmo termo. O conteúdo textual original desta página está disponível sob a licença GNU FDL 1.2.

Todas as marcas citadas pertencem aos seus respectivos proprietários. Os direitos autorais de todas as ilustrações pertencem aos respectivos autores, e elas são reproduzidas na intenção de atender ao disposto no art. 46 da Lei 9.610 - se ainda assim alguma delas infringe direito seu, entre em contato para que possamos removê-la imediatamente ou ainda lhe dar os devidos créditos.

Copyright © 2016 O Espaço do Software Livre