terça-feira, 16 de setembro de 2014

Consertando um mesa de computador quebrada em 8 minutos


Resolvemos fazer esse vídeo para mostrar que é bem simples resolver o problema daquela mesa de computador que tem a parte do teclado separada do corpo principal da mesa presa apenas por 2 parafusos no aglomerado, muito parecida com a imagem acima.

Na maioria das vezes essa parte onde se coloca o teclado, quebra, porque nós,   os usuários temos a mania de colocar o peso dos nossos cotovelos em cima desta parte.


Os materiais usados são:

1 furadeira com a bloca compatível com o parafuso escolhido;
2 parafusos com porca de aproximadamente 8 cm;
régua, lápis e alguém para ajudar a segurar o suporte.

e o mais importante, um pouco de vontade de resolver o problema, pois o tempo gasto no serviço, não chega a 10 minutos.

Autores da obra: José Theodoro e Sergio Graças
Mais informações »

terça-feira, 9 de setembro de 2014


Empreendedores norte-americanos buscam, no site de financiamento coletivo Kickstarter, dinheiro para o projeto desenvolvido por eles no Brooklyn, em Nova York. Trata-se de uma caneca imune aos desastrados - ou seja, que jamais poderá ser derrubada.

No vídeo em que os empresários postaram para vender o produto, eles demonstram que realmente é possível criar e produzir o produto em larga escala. O segredo do sucesso é o fundo dessa caneca, que leva uma camada super aderente que mantém o produto em pé mesmo quando pressionado pelas mãos durante a simulação de um acidente.


O produto faz relativo sucesso no Kickstarter. Faltam menos de 20 dias para o fim da campanha e os empreendedores já arrecadaram cerca de US$ 8,6 mil - mas eles precisam de mais e pedem US$ 10 mil.


Fonte e Créditos: aqui
Mais informações »

Chamada para colaboração - LibreOffice Magazine 13


A próxima edição da revista eletrônica LibreOffice Magazine será lançada no mês de outubro de 2014. Se você tem interesse em escrever para a revista sobre os temas LibreOffice, ODF ou temas relacionados a softwares de código aberto, envie o seu texto por e-mail até o dia 06 de outubro de 2014 para o endereço: 


O formato do arquivo texto a ser enviado deve estar em formato aberto (ODF) e o mesmo deve conter a foto e o minicurrículo do autor. 

Não aceitaremos o arquivo texto em outro formato.

Se você tem interesse em divulgar algum evento de Software Livre em nossa revista, você deve enviar o arquivo em formato PNG ou JPG com resolução mínima de 100 DPI, até o dia 06 de outubro de 2014 para o e-mail: revista@libreoffice.org. Consulte-nos sobre os tamanhos do anúncio.

Onde baixar a LibreOffice Magazine? http://pt-br.libreoffice.org/projetos/revista/

Mais informações »
Rafael Procopio fala sobre o Matemática Rio no encontro internacional Educação 360 - Marcelo Piu / Agência O Globo


O Brasil é um caso à parte na Matemática. Se o brasileiro Arthur Ávila trouxe a primeira Medalha Fields para o país no mês passado, considerada o "Prêmio Nobel" da disciplina, nossos estudantes na educação básica ficaram entre a 57ª e a 60ª posições no ranking de 65 economias globais que participaram de provas do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) de 2012 . Mas se o cenário pode não ser tão animador, pequenas iniciativas que brotam de Norte a Sul mostram que as equações e frações podem não ser o bicho de sete cabeças na escola.

Foi isso que o professor Rafael Procópio, de 31 anos, quis demonstrar ao tentar solucionar os problemas que envolvem o ensino da Matemática. Em 2010, Rafael lançou no Youtube o canal "Matemática Rio", cuja intenção inicial era apenas postar videoaulas que serviriam como complemento ao conteúdo que ele passava na Escola Municipal Rosa da Fonseca, na Zona Oeste do Rio, onde ele trabalha. Seria apenas mais um caso de educador que utiliza as novas ferramentas da tecnologia para expandir o poder da aprendizagem.

No entanto, empolgado com a audiência que conquistara em pouco tempo, o docente resolveu inovar, lançando vídeos onde explica fórmulas, raíz quadrada e outros tópicos ao som de Anitta, Sorriso Maroto e Luan Santana. Resultado: em quatro anos, o Matemática Rio já conta com 80 mil seguidores no Youtube e 50 mil no Facebook:

- Meu vídeo de maior sucesso foi a paródia que fiz do funk do Quadradinho de Oito, que teve sete milhões de acessos. Mas engana-se quem pensa que eu gosto de fazer paródia. Elas servem no máximo para entreter o aluno e atraí-lo para a Matemática. Não serve para ensinar muita coisa, no máximo para decorar - explicou Rafael durante uma das palestras do seminário Educação 360.


De fato, dos 485 vídeos já publicados no canal até agora, poucos são paródias de músicas populares. O sucesso do Matemática Rio está, na verdade, na forma inteligente como os conteúdos são trabalhados. Um dos trabalhos, por exemplo, reproduz o episódio em que o jovem matemático alemão Johann Carl Friedrich Gauss, então com 12 anos, descobriu a fórmula da progressão aritimética no final do século XVIII enquanto cumpria um castigo imposto pelo seu professor, que o teria obrigado a fazer a soma dos números inteiros de um a 100.

Toda a cena foi reconstruída por Rafael, sendo o ator principal - o Gauss - um de seus alunos da escola da rede municipal do Rio. O vídeo "Carlos Frederico Gauss" já teve quase seis mil visualizações.

- Esse é um dos tipos de vídeo que mais fazem sucesso no meu canal, o que trabalha ao mesmo tempo a curiosidade da matemática com humor e de uma forma leve - conta Rafael.

No Matemática Rio, há desde desafios matemáticos até aulas específicas sobre determinado tema, mas sempre dadas na linguagem do aluno. Se em um vídeo o estudante pode aprender sobre parábolas, em outro é possivel saber como fazer um dodecaedro com papel e responder a desafios matemáticos, alguns até virais em redes sociais.

Rafael ressalta que o material que produz é sempre um complemento ao que ensina em sala de aula, ou seja, o aluno não pode fugir da temida aula de frações. No entanto, é quando o estudante chega em casa que os vídeos fazem a diferença.

- Os mais interessados vão procurar aquele tema na internet para procurar um reforço ou outra forma de explicação para aquela matéria, e acabam achando o meu canal. É até por isso que eu nunca me limitei a fazer videoaulas, porque assim eu estaria apenas replicando o modelo tradicional de aula para o audiovisual. E nada mais.

Mais informações »

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

BarCamp São Paulo está de volta!!!


BarCamp São Paulo está de volta!!!

É uma rede de eventos internacional formada em torno de um modelo de desconferência e com um interesse em comum: a colaboração.
Com o desejo de compartilhar ideias, pontos de vista e aprender coisas novas em uma reunião informal, aberta e sem fins lucrativos.
Neste ano, a proposta é retornar a cena independente e colaborativa a partir de uma nova edição em São Paulo.

Como funciona

Não há lista de palestrantes, nem programação fechada.
Os participantes devem se inscrever previamente e podem reservar uma sala para fazer uma apresentação, demonstrar projeto em que estão trabalhando, ou fazer parte ativa das discussões dos cantos do evento.
Pode ser de qualquer temática: Tecnologia, Desenvolvimento, Música, Arte, Culinária, Engenharia, Design, Comunicação, Mobilidade Social, Moda, Sustentabilidade, Programação, Social media, Gamming e mais.

Como se desenvolve o BarCamp

No BarCamp você apresentar que você quiser, no horário que você quiser e na sala que você quiser.
Só tem que chegar cedo e anotar na lousa o tema desejado.
O evento começa às 10 horas. As pessoas dispostas a palestrar são os primeiros a encher a lousa e em menos de 10 minutos a programação está pronta.

Logo se passa a uma pequena apresentação para fazer o kick-off do BarCamp e começar oficialmente.
Os demais começam a se separar e assistir as palestras as quais mais se interessaram.

Pronto! Assim tão simples!

No ano passado BarCampSP foi realizado no sábado 14
de dezembro de 2013, no Campus de Ciências Exatas
e Tecnologia da PUC, na Rua Marquês de Paranaguá,
111 e com a inscrição de mais de 200 pessoas e a presença
de 100 pessoas.

Fonte e Créditos: aqui

Maiores Informações: www.barcampsp.com.br

Mais informações:




Email: barcampsp@gmail.com
Mais informações »

sábado, 6 de setembro de 2014



Você está em busca de uma maneira fácil de explicar aos outros o que o Software Livre é e porque isso é importante? Ou talvez você esteja se perguntando porque eu devo ficar preocupado com a liberdade dos usuários de computador? Se sua resposta for sim, então essa palestra do RMS no TEDx é o que você está procurando!

RMS foi convidado para dar uma palestra no TEDx "LIBERDADE (@ era digital)" em abril e teve a oportunidade de explicar os fundamentos do movimento do Software Livre para o público em geral. Neste discurso, RMS especifica a questão e faz as apostas claras; ele explica que é um computador e quem o controla, quais são as várias implicações do software livre e do software proprietário para você, o usuário, o que você pode fazer para deixar de ser uma vítima, quais são os obstáculos à liberdade do usuário de computador, e como você pode fazer a diferença.

As palestras TEDx são "projetados para ajudar as comunidades, organizações e indivíduos a estimular o diálogo e a conexão através de experiências TED locais". Nestes eventos, exibições de vídeos, como este, ou uma combinação de apresentadores ao vivo e vídeos de palestras TED - acendem conversas e conexões produndas no nível local."

Esperamos que você compartilhe a gravação, para ajudar a sensibilizar e inspirar conversas e conexões em seus próprios círculos, e apresentar a um amigo(a), amado(a), ou conhecido(a), a este "primeiro passo para a libertação do ciberespaço."

Se você assistir qualquer palestra do TEDx no YouTube, por favor lembre-se de usar um programa livre como o youtube-dl, ao invés do seu navegador, porque assistir YouTube no seu navegador requer um JavaScript proprietário.

Muito obrigado a Théo Bondolfi, François Epars, Florence Dambricourt, e a equipe principal TEDxGeneva por fazer esta palestra possível. Obrigado a Ynternet.org e HEG-GE para acolher e apoiar o evento, e Sylvain & Co., La Belle Bleue, e Jus de Fruits Suisses, ProLibre, e a Fondation Emilie Gourd, Piguet Galland & Cie., Lifelong Learning Programme, Hes.so Genève, My Big Geneva, and Smala pelo seu apoio.

Obs: RMS não recebe salário da FSF, mas as suas doações dão suporte a coordenação de eventos e vídeos como este. Gostaríamos muito de produzir mais vídeos introdutórios. Você pode doar $ 25 hoje?

Esta gravação está licenciada pela Creative Commons Attribution-No Derivative Works 3.0 license.

Youtube com legenda:

Baixe este vídeo:

Legenda - traduzida para o português por Bruno Buys:



Mais informações »

quarta-feira, 3 de setembro de 2014


Spyder (anteriormente chamado de Pydee) é um ambiente de desenvolvimento interativo poderoso para a linguagem Python com edição avançada, testes interativos, depuração e recursos de introspecção. Permite trabalhar facilmente com as melhores ferramentas científicas disponíveis para Python em um ambiente simples, mas poderoso. Desfrute de todos os benefícios do software de código aberto de excelente qualidade que está disponível nos repositórios oficiais das principais distribuições GNU/Linux.


INSTALAÇÃO MODO GRÁFICO

Para instalar o programa, faça:

1 - Abra a Central de Programas do Ubuntu;
2 - Na Central de Programas, no campo de pesquisa pesquise pelo nome do programa;
3 - Faça clique-simples sobre o primeiro resultado para visualizar mais opções;
4 - Clique no botão "Instalar" para iniciar o processo. A senha de administrador será solicitada, digite-a e clique no botão "Autenticar" para prosseguir;
5 - Isto pode demorar um pouco. Aguarde...;
6 - Quando o processo de instalação for concluído, feche a Central de Programas.


INSTALAÇÃO MODO TEXTO

Para instalar basta abrir um terminal (CTRL+ALT+T) e digite o seguinte comando:

$ sudo apt-get install spyder + ENTER 

Ou faça o download neste link.


A interface do programa no GNU/Linux:

A interface do programa no Mac OS:

A interface do programa no MS Windows:

disponível para:
página do projeto: code.google.com/p/spyderlib
Fonte e Créditos: aqui
Mais informações »

terça-feira, 2 de setembro de 2014


Está disponível a versão 1.8.1 do Stoq, uma suíte de aplicativos de gestão comercial e industrial open source distribuído e desenvolvido pela Async Open Source (Brasil). Trata-se de um conjunto de aplicativos desenvolvido sob a GNU General Public License (versão 2) e a maioria das bibliotecas estão sob GNU Lesser General Public License disponibilizado como software livre.

O objetivo principal do Stoq é suprir as necessidades de pequenas e médias empresas do mercado brasileiro, atendendo aos requisitos necessários estando de acordo com as regras impostas pelo governo, como Sintegra, Impressoras Fiscais (ECF), apuração de impostos sobre compra e venda (ICMS), impostos sobre serviço (ISS), CFOP e etc. O Stoqpossui suporte multi-idioma e está traduzido para três deles: inglês, português e espanhol. Tem suporte a dispositivos específicos do Brasil e estes estão implementados em plugins para evitar a exibição de tal funcionalidade para os usuários de outros países.


ADICIONANDO O PPA E INSTALANDO O PROGRAMA

Para instalar o Stoq 1.8.1 no Ubuntu (14.04 e 12.04) e distribuições derivadas basta abrir um terminal (CTRL+ALT+T) e digitar os seguintes comandos:

PPA de terceiros... adicione por sua conta e risco!

$ sudo apt-add-repository ppa:stoq-dev/lancamentos + ENTER 
$ sudo apt-get update + ENTER 
$ sudo apt-get install stoq + ENTER 

Ou faça o download neste link.

Calendário de gestão:


Relatório para impressão:

disponível para:
página do projeto: stoq.com.br | launchpad.net/~stoq-dev
Fonte e Créditos: aqui
Mais informações »
No meu trabalho tenho passado por algumas experiências e sempre tento compartilhar aqui as soluções encontradas, pois minha dúvida/problema também pode ser a de outro usuário de sistema GNU/Linux. Nesta postagem mostrarei como instalar / adicionar impressora de rede noDebian e/ou distribuições derivadas. Foram utilizadas aqui na minha experiência impressorasHP e Lexmark no Debian 7.6 Wheezy (32 bits), sem a necessidade de instalação de nenhum driver adicional.


SERVIDOR DE IMPRESSÃO

CUPS (anteriormente um acrónimo para Common Unix Printing System) é um sistema de impressão para sistemas operativos de computador tipo unix, permite que um computador aja como um servidor de impressão [wikipedia].


INSTALANDO O SERVIDOR DE IMPRESSÃO

O CUPS está nos repositórios oficiais das principais distribuições GNU/Linux, portanto para instalar o servidor de impressão no Debian e distribuições derivadas basta abrir um terminal e correr os seguintes comandos (digite a senha de administrador se esta for solicitada e tecle ENTER para prosseguir):

$ su + ENTER 
# apt-get install cups +  ENTER 


INICIALIZANDO O SERVIDOR DE IMPRESSÃO

Inicializando o servidor de impressão:

# /etc/init.d/cups start +  ENTER 


LOCALIZANDO E ADICIONANDO A IMPRESSORA

Para adicionar um impressora de rede, basta:

0 - verifique se a impressora está devidamente conectada a um cabo de rede funcional, ligada à uma fonte de energia e respondendo ao ping; 
1 - abra o navegador de sua preferência;
2 - digite na barra de endereço http://localhost:631 e tecle ENTER;
3 - você verá a página do CUPS. Clique em "Add Printers and Classes"


4 - na página seguinte clique no botão "Add Printer":


5 - A senha de administrador será solicitada. O usuário deve ser ROOT. Digite a senha e clique em OK para prosseguir:


6 - se você seguiu a recomendação inicial (0), serão listadas as impressoras de redes. Basta clicar no modelo correspondente. Na página seguinte escolha o driver a ser utilizado. Clique no botão "Add Printer" para finalizar a instalação da impressora:


7 - Na etapa seguinte você pode testar a conexão com sua impressora imprimindo uma página teste.

Fonte e Créditos: aqui
Mais informações »

Renderizador NOX agora é software de código aberto!



NOX Renderer é agora software de código aberto! Após anos de desenvolvimento, seus desenvolvedores e proprietários decidiram dar NOX para a comunidade. NOX é um renderizador baseado em física real, totalmente integrado com o Blender e 3ds Max (e com o apoio C4D) agora é Open Source liberado sob a licença Apache - livre para uso comercial e modificações.


Vídeo de trabalho derivado:

Você pode melhorar de forma livre e modificar este mecanismo de renderização, integrá-lo com qualquer software 3d, escrever plugins para NOX, usá-lo em seus trabalhos comerciais e / ou vendê-lo. As possibilidades são infinitas e dependem apenas de você.



Principais características do NOX:

+ motor baseado em física real;
+ post procesing reforçado;
+ renderização em camadas;
+ DOF verdadeiro e falso;
+ instanciação e deslocamento;
+ espalhamento em subsuperfície e etc.

sob a licença: Apache License 2.0
página do projeto: evermotion.org/nox
Fonte e Créditos: aqui
Mais informações »

O Raspberry Pi é um computador minúsculo. Tiny Core GNU/Linux é um pequeno sistema operacional projetado para oferecer o mínimo que você precisa para começar a trabalhar, enquanto ocupando o mínimo de espaço possível em disco. Neste ano os desenvolvedores do Tiny Core lançaram uma versão do seu sistema operacional chamado PiCore que é projetado para rodar no Raspberry Pi. Esta semana foi lançado o PiCore 5.3, com um kernel atualizado, recente firmware Raspberry Pi, entre outras melhorias. A ISO tem apenas 24.7MB.


Origem: USA
Baseado em: Independente (surgiu da ramificação do Damn Small)
Architetra: armhf, i486
Desktop: Fluxbox, flwm, Hackedbox, IceWM, JWM, Openbox
Estado: Ativa
Popularidade: 33º no DistroWatch


Fonte e Créditos: aqui
Mais informações »

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Scratch 2.0 - A Evolução, usando a WebCam


Neste pequeno vídeo mostramos a vocês, de forma bem simples, como usar ou integrar um a WebCam, aos jogos ou objetos criados usando o Scratch 2.0, isso tudo sem usar uma linha de programação.


Para quem já conhece o Scratch, já sabe que para construir alguma coisa dentro do programa, basta arrastar, encaixar e soltar blocos de comando, no estilo encaixa e solta.



O texto abaixo foi retirado daqui: http://scratch.mit.edu

Para Educadores

O Scratch foi projetado tendo em mente aprendizagem e educação. Uma grande variedade de educadores tem apoiado os criadores do Scratch desde 2007, em ambientes de aprendizagem formais e informais – pesquisadores de ciências da educação e informática, bibliotecários, educadores de museus e pais 

Quer saber mais sobre a aprendizagem no Scratch? 

O que é o ScratchEd?

Lançado em julho de 2009, o ScratchEd é uma comunidade online em que educadores do Scratch compartilham histórias, trocam recursos, fazem perguntas e encontram pessoas.

Desde seu lançamento, mais de 7.500 educadores de todo o mundo juntaram-se à comunidade, partilhando centenas de recursos e envolvendo-se em milhares de discussões.

Cadastre-se gratuitamente na comunidade ScratchEd em scratch-ed.org.

Como posso saber mais sobre o que os educadores estão fazendo com o Scratch – e sobre como posso usá-lo?

Não está claro o que pode fazer com o Scratch?

Leia uma história sobre como os educadores têm incluído atividades com o Scratch em uma grande variedade de ambientes de aprendizagem.

Ou explore recursos para diversas idades, disciplinas e contextos. Assista a webinários e leia documentos como o Guia curricular do Scratch.

Além de explorar a comunidade online, ScratchEd, e seus recursos, você também pode participar da Equipe ScratchEd e entrar em contato com outros educadores do Scratch pelo Twitter, do Facebook, Edmodo, apanhados semanais e nosso boletim trimestral.


Para os pais

O Scratch é uma linguagem de programação e uma comunidade online onde as crianças podem programar e compartilhar mídias interativas, como histórias, jogos e animações, com pessoas de todo o mundo. Quando as crianças usam o Scratch, elas aprendem a pensar de forma criativa, trabalhar de forma colaborativa e pensar de forma sistemática. O Scratch foi criado e é mantido pelo grupo Lifelong Kindergarten no Media Lab do MIT.

Qual é a faixa etária do Scratch?

Embora o Scratch tenha sido projetado principalmente para crianças de 8 a 16 anos, ele é usado por pessoas de todas as idades, inclusive crianças mais jovens, com a ajuda de seus pais.
Quais são os recursos disponíveis para aprendizagem no Scratch?

Se você for iniciante, há um guia passo a passo disponível no Scratch, ou você pode fazer download do Guia introdutório (PDF). Os Cartões Scratchoferecem uma maneira divertida de aprender. Para ter uma visão geral dos recursos do Scratch, veja Ajuda do Scratch.

O que é a comunidade online do Scratch ?

Ao participar da comunidade online do Scratch, os membros podem explorar e fazer experiências em uma comunidade de aprendizagem aberta com outros membros do Scratch de todas as origens, idades e interesses. Os membros podem compartilhar seu trabalho, obter opiniões e aprender uns com os outros.

Quais são as diretrizes para a comunidade online do Scratch?

A Equipe MIT Scratch trabalha junto à comunidade para manter o ambiente amigável e respeitoso para pessoas de toda as idades, raças, etnias, religiões, orientações sexuais e gêneros. Você pode ajudar seu filho a aprender como participar, lendo as diretrizes da comunidade com ele. Foi pedido aos membros que fizessem comentários construtivos e que ajudassem a manter o site amigável denunciando qualquer conteúdo que não estivesse de acordo com as diretrizes da comunidade. A Equipe Scratch diariamente gerencia as atividades no site e responde às denúncias, com a ajuda de ferramentas como o filtro de palavras de baixo calão, CleanSpeak.

Qual é sua política de privacidade?

Para proteger a privacidade das crianças online, limitamos as informações coletadas no processo de cadastro e o que tornamos público no site. Não vendemos nem arrendamos informações das contas para ninguém. Você pode descobrir mais sobre nossa política de privacidade em nossa página de Perguntas Frequentes.

Existe alguma maneira de usar o Scratch offline?

Sim, o editor offline do Scratch lhe permite criar projetos sem participar ou acessar a comunidade online. Visite a página de download do editor offline Scratch 2.0 para ter mais instruções sobre como instalá-lo em seu computador. (Se o seu computador não suportar a versão mais recente, tente o editor offline Scratch 1.4.)

O que os pais têm dito sobre o Scratch?

Frequentemente recebemos e-mails de pais agradecendo-nos pelo Scratch.

Apresentamos aqui alguns exemplos:

"Gostaria de agradecer a todos vocês pela criação do Scratch e por oferecê-lo gratuitamente. Meus filhos fazem coisas incríveis que encaram como diversão mas que sei que é educacional, valioso e que vale a pena. Muito obrigado!"

"Minha filha, muito tímida, mas ligada na tecnologia, encontrou nisso uma saída fantástica e segura para expressar sua criatividade. Ela passa seu tempo livre criando animações cada vez mais difíceis e as compartilha na comunidade do Scratch. Os fóruns proporcionam um grupo de indivíduos amigáveis com o qual ela pode manter uma conversa... Agora ela sente que computadores, design gráfico e animação são algo que ela gostaria de continuar fazendo no futuro. Seu programa abriu um novo mundo para ela de muitas maneiras, e eu agradeço de todo o coração. "

"Meu filho está aprendendo mais do que eu posso imaginar com sua ferramenta. Ele não é um pensador lógico natural, mas ama LEGO. A estrutura do Scratch baseada blocos, como o LEGO, fez sua capacidade de raciocínio lógico avançar enormemente... Ele pode juntar blocos e começar a ver a lógica pelo feedback imediato. E, claro, trabalhamos em algumas coisas juntos -- criando momentos pai e filho. Essa ferramenta é simplesmente incrível. Muito obrigado a todos vocês e ao MIT."

Fonte e Créditos: http://scratch.mit.edu
Mais informações »

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

VI Maratona de Software Livre


Vem aí a nossa VI Maratona de Software Livre. Serão 2 dias de evento e será realizado nos dias 29 e 30 de agosto de 2014, no ICEx - Instituto de Ciências Exatas UFF – Universidade Federal Fluminense – Campus Aterrado.

O evento é aberto para a comunidade em geral e contará com palestras e oficinas. As palestras serao realizadas na sexta-feira a partir das 07h30 e as oficinas serão realizadas no sábado de 8h às 18h. Conheça as oficinas e faça a sua inscrição, pois as vagas são limitadas.

Algumas oficinas precisam de Notebook.


Divulgue na Comunidade Escolar e faça parte você também!


ICEx - Instituto de Ciências Exatas
UFF – Universidade Federal Fluminense – Campus Aterrado
Endereço: Rua Desembargador Ellis Hermydio Figueira, nº 783
Aterrado – Volta Redonda – Rio de Janeiro
Bloco B – Sala 301
29 e 30 de Agosto de 2014
7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30
Mais informações »

terça-feira, 5 de agosto de 2014

VI Fórum de Software Livre de Duque de Caxias


Sobre o VI FSLDC

É com grande satisfação que o projeto AgendaLivre.org apresenta a sexta edição do FSLDC - Fórum de Software Livre de Duque de Caxias. Este evento, que vem se destacando como referência para a comunidade de Software Livre no Estado do Rio de Janeiro, visa promover a utilização do Software Livre, incentivar a sua adoção no meio acadêmico, empresarial e diversas instâncias de governo. Nos últimos 6 anos, diversas personalidades nacionais e internacionais do Software Livre passaram por aqui, dentre elas Jon Maddog Hall, diretor executivo da Linux International, que já esteve conosco em duas edições e Rasmus Lerdorf, criador da Linguagem PHP.
Tradicionalmente, durante o FSLDC, são apresentadas palestras técnicas, painéis e casos de sucesso nas áreas empresarial, acadêmica e pública de uso e desenvolvimento de Software Livre, além de minicursos e workshops.
Anualmente, Duque de Caxias abre as portas para o Software Livre e torna-se ponto de encontro das comunidades para troca de idéias, discussão de projetos e debates em torno desse tema. Venha você também participar desse espetáculo do desenvolvimento colaborativo, seja como participante, palestrante ou voluntário.

Sejam bem-vindos ao VI FSLDC!


Chamada de Trabalhos

A programação do VI FSLDC é colaborativa. 
Você pode participar como palestrante enviando uma proposta de atividade. 
Inscreva sua palestra aqui até o dia 10 de setembro!


As palestras são organizadas nas seguintes trilhas:

  • Desenvolvimento
  • Administração de Sistemas
  • Mobile
  • Segurança
  • Ecossistema do Software Livre
  • Negócios e Cases de Sucesso
  • Multimídia
  • Educação e Inclusão Digital

Cronograma de submissão de trabalhos:

  • Chamada de trabalhos: 04 de agosto até 10 de setembro.
  • Divulgação da lista de propostas aprovadas: Até 30 de setembro
  • Divulgação da programação preliminar: Até 10 de outubro

Local do evento

Com localização privilegiada, a cidade de Duque de Caxias, um dos maiores Pólos Industriais do país, tem acesso rápido e facilitado a toda malha viária nacional, incluindo as principais rodovias e linhas expressas do país: Rodovia Presidente Dutra, Rio - Magé, Washington Luiz e Linha Vermelha, tornando a cidade a melhor opção de negócios que acontecem em toda região. Duque de Caxias é sede da maior refinaria do país, indústria de polímeros, pólo de gás químico, parque gráfico do jornal O Globo, INMETRO, SELMA e diversos centros de armazenagens industriais, além de um grande shopping e de uma das maiores universidades do Estado, a UNIGRANRIO.

Hotel Mont Blanc
Rua Passos da Pátria, 105, 25 de Agosto, Duque de Caxias - RJ

 

Fonte e Créditos: aqui
Mais informações »

sábado, 2 de agosto de 2014

Curso de Moodle Gratuíto da ACADTEC - Divulgando

Estamos com o nosso curso de Moodle por tempo limitado, liberado gratuitamente aos nossos alunos, se você não está cadastrado, basta realizar o cadastro antes e imediatamente se cadastrar no curso.

Você não sabe o que é o Moodle?

É um software livre, de apoio à aprendizagem, executado num ambiente virtual. A expressão designa ainda o Learning Management System (Sistema de gestão da aprendizagem) em trabalho colaborativo baseado nesse programa, acessível através da Internet ou de rede local. Em linguagem coloquial, em língua inglesa o verbo "to moodle" descreve o processo de navegar despretensiosamente por algo, enquanto fazem-se outras coisas ao mesmo tempo.

Utilizado principalmente num contexto de e-learning ou b-learning, o programa permite a criação de cursos "on-line", páginas de disciplinas, grupos de trabalho e comunidades de aprendizagem, estando disponível em 75 línguas diferentes. Conta com 25.000 websites registados, em 175 países.


Fonte e Créditos: aqui



Mais informações »